Arte para crianças, BLOG, Brincando dentro de casa, brinquedos, DIY, Faça você mesmo

Marcas

 

DSC_0166

O segundo filho nasceu.

O primeiro ficou assustado.

A mãe também estava um tanto apreensiva.

E com medo também.

 

O segundo filho nasceu num dia frio.

Um dia frio como nunca fizera.

Madrugada mais fria em 20 anos.

 

O primeiro filho entrou de férias.

Os dias frios só estavam começando.

Mãe e filhos enclausurados dentro de casa.

 

O pai saia para trabalhar muito cedo.

E só voltava na hora que as crianças

já deveriam estar dormindo.

 

Primeiro filho fazia muito barulho

A vizinha de baixo reclamava.

Batia com a vassoura. De modo violento.

 

O segundo filho estava formando as tripas

E no fim da tarde chorava.

 

Primeiro filho insistia em escalar a mãe.

18 kilos no lombo da mãe que tentava dar de mamar ao segundo filho.

 

Primeiro filho despertava algo violento dentro da mãe.

A mãe respirava.

Respirava.

Respirava.

A mãe respigrava.

A mãe resgritava.

A mãe gritava de novo.

Primeiro filho não conseguia parar.

A mãe também não.

 

Primeiro filho ficou seis dias sem ir no banheiro.

E foi com a avó resolver o número dois no hospital.

Começamos a maratona de consultas com novo pediatra.

 

Segunda filha tinha engordado.

35 gramas por dia.

A mãe da segunda ficou aliviada.

Com o primeiro filho não tinha conseguido amamentar.

 

Primeiro filho começou nova medicação.

Causticum e Nujol.

A médica carimbou a primeira receita.

Theo (o primeiro filho) pediu para carimbar a outra.

A médica deixou.

Theo queria carimbar mais.

Mas a consulta acabou.

 

Mãe conversou com a astróloga via whats up:

O primeiro iria continuar dando muito trabalho.

Só cura quando o verão chegar.

 

Mãe se entregou, jogou a toalha no chão.

Aceitou que a servidão agora é total.

Agora é cuidar de criança. Tempo integral.

 

Mãe foi na papelaria.

Irene – segundo filho – no colo.

E Theo agasalhado puxado pela mão.

Theo escolheu o carimbo.

Era com cabo de madeira, nome em caixa alta.

Escolheu também quatro estrelas.

Era inverno ainda, mas começamos a melhorar.

 

DSC_0164 DSC_0163DSC_0148 Carimbo Criança

5 comentários em “Marcas”

  1. Lindo texto! De certa forma um calmante. Todos passam por isso… É o normal. Eu, com 3 pequenos (diferença de 2 anos entre cada um), digo que tudo fica mais fácil quando a gente simplesmente ACEITA. “Aceitou que a servidão agora é total.”. É difícil chegar nesse ponto, até porque muitas vezes a gente não sabe que essa é a chave. E, outras vezes, apenas queria que fosse diferente; queria que fosse mais fácil. Mas não é. Então, quando ACEITA…. SE ENTREGA… Ah…… Por que não fiz isso antes? Essa loucureira não é para sempre. Vai passar. Essa loucureira e esses filhos pequenos. E virão outras loucureiras… Agora, aceitação e um simples carimbo resolvem. Um carimbo; tão simples, né? É, o simples é sempre o mais fascinante para as crianças… Vamos descomplicar… Obrigada pelo texto!!!

  2. me identifiquei completamente. cuidar de criança em tempo integral. dois é foda. mas te garanto que mais uns tantos meses e eles começam a brincar juntos e tu consegues fazer alguma coisa sem criança pendurada (tipo o almoço deles…).

  3. Genial! Os melhores presentes para crianças parecem ser os mais simples. Amei o poema , deu para sentir o drama de ser mãe de dois. Tomara que num futuro não muito distante, pais possam tirar licença paternidade de no mínimo quatro meses 😀 Beijos!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s