Na Itália não há mosquitos?

musquiteiro para quarto sem berço

Queria que Maria Montessori ainda estivesse viva pra contar como faz para adaptar seu quarto sem berço para os trópicos. Na Itália certamente não havia mosquitos. Se já é complicado convencer seu grupo afetivo sobre a decisão do  colchão no chão, o que dizer quando o bebê acorda todo picado depois da primeira noite de verão de sua vida?

Foí aí que minha tia doou um mosquiteiro antigo, tradicional, estruturado com um bordador circular. Funcionou um tempo, mas quando o neném ganhou mobilidade, chegava a ser engraçado a imagem de manhã: o Theo capturado naquela rede branca, e a gente que nem pescador, feito gordo e o magro desengonçados, tentando resgatar o filhote daqueles metros de tule.

Então, depois de queimar mais alguns neurônios, construímos uma estrutura simples: um retângulo feito de ripas de madeira de 1cm e triângulos de compensado da mesma espessura, com preguinhos e cola de madeira para sustentar. Fizemos do tamanho do colchão do Theo. Para fixar, prendedores de papel, barbante e prego na parede. Na quina que fica em balanço, o barbante foi fixado no teto. Para cobrir, metros e metros de tule branco emendados, e um viés azul na borda para arrematar.

Funcionou. Um prendedor de varal ajuda na hora que queremos entrar e sair da cabana.  De vez em quando o Theo ainda fica preso, não chora, é mais engraçado do que trágico, mas a cada dia está mais esperto para se livrar da armadilha. E sei que a estrutura ainda vai dar muito pano pra manga para as brincadeiras de cabana, vamos esperar ele crescer pra ver.

musquiteiro neném entrar e sair